Representar, defender, lutar e
garantir melhores condições aos
trabalhadores do Incaper

A Associação dos Servidores do Incaper (Assin) é uma associação civil de direito privado sem fins econômicos e sem intuito político partidário e religioso. Seu objetivo é defender os interesses gerais dos associados e associadas, combatendo injustiças e arbitrariedades da gestão pública, bem como fortalecer as lutas por conquistas essenciais para sustentabilidade social e econômica e qualidade de vida dos servidores e servidoras Incaper.

Missão

Congregar e representar os associados e associadas para alcançar a valorização profissional, econômica e social no ambiente de trabalho e na família

Visão

Em construção!

Valores

Em construção!

Histórico

Para falar da história da Associação dos Servidores do Incaper (Assin) é preciso traçar parte da trajetória do Incaper. Para isso, faz-se necessário se remeter ao ano de 1975, quando a Associação de Crédito e Assistência Rural do Espírito Santo (Acares) foi extinta. No mesmo ano foram constituídas a Empresa Brasileira de Assistência Técnica e Extensão Rural (Embrater) e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Espírito Santo (Emater-ES), hoje Incaper. Mas porque recuperar parte da história? Porque foram os empregados e empregadas da antiga Emater-ES que, em maio de 1985, fundaram a Associação dos Servidores da Emater-ES (Assem), cujo nome atual é Assin.

A associação foi criada para ser um mecanismo legal, um meio de organização dos servidores e servidoras para que pudessem fazer suas reivindicações. Seu primeiro presidente foi Anadyr Zanotti, cuja gestão teve como uma das principais tarefas cuidar das questões legais que diziam respeito à fundação da associação. Nos primeiros anos de atividade da então Assem, funcionárias e funcionários públicos conviveram com a retirada de benefícios por parte do Governo Max Mauro. Mesmo não havendo amparo legal para a greve de servidoras e servidores, garantido hoje pela Constituição Federal, antes de 1988 o funcionalismo público, incluindo servidores da Emater-ES, paralisaram suas atividades. O resultado foi a aprovação do melhor Plano de Cargos e Salários da época. Em meio às manifestações, destacou-se a mobilização de servidores, servidoras e produtores rurais, que compareceram em massa à cidade para reivindicar direitos.

Na primeira metade da década de 90, muitos benefícios foram conquistados por meio de acordos coletivos de trabalho com ampla participação dos servidores e servidoras em Assembleias Gerais, passeatas e greves para alcançar as reivindicações, entre elas, a complementação da aposentadoria paga pelo INSS. Na segunda metade da década de 90, o Governo Vitor Buaiz estava com o firme propósito de precarizar o serviço público estadual. Diante disso, funcionárias e funcionários públicos perderam 13 benefícios, entre eles, o plano de saúde. Foi nessa ocasião que a associação criou o Fundo de Saúde da Assin, uma conta bancária onde são depositados todos os recursos financeiros destinados a assistência à saúde de seus filiados.

Em 1999 foi eleita Maria Isabel Frade, primeira mulher a presidir a associação. Um dos trabalhos desenvolvidos em sua gestão foi trabalhar a questão dos servidores e servidoras no período da fusão da Empresa Capixaba de Pesquisa Agropecuária (Emcapa) com a Emater, quando as duas empresas foram transformadas em uma, a Emcaper, e depois em autarquia, o Incaper. Também foi um período em que se pautou de maneira intensa a defesa dos serviços de pesquisa, assistência técnica e extensão rural pública, gratuita e de qualidade para os agricultores e agricultoras familiares. Ampliou-se, ainda, a participação da associação em discussões e ações de interesse direto dos camponeses e camponesas.

No anos 2000, a associação encampou a luta pelo fortalecimento do Incaper por meio de concurso público, melhoria das condições de trabalho, recomposição salarial. Outro destaque foi a participação direta na construção de uma proposta de política de Pesquisa e ATER para o Espírito Santo. Além disso, no ano de 2003, a Assin, junto com outras entidades da sociedade civil e de representação dos agricultores, organizou um movimento para impedir que houvesse redução do número de Escritórios Locais de Desenvolvimento Rural de 78 para 20. Tal situação não atendia aos anseios dos agricultores e causaria muitas mudanças na vida de servidores e servidoras, como a transferência de um município para outro e para outros órgãos.

Com o lançamento pelo Governo Federal de uma Política Nacional de ATER, a Assin tem acompanhado esse debate em nível estadual, junto à Assembleia Legislativa, e nacional, por meio da Federação Nacional dos Trabalhadores da Assistência Técnica e do Setor Público Agrícola do Brasil (Faser). Em 2012, a Assin mobilizou os servidores e servidoras para a greve do funcionalismo público estadual, por meio da qual foi conquistado o Plano de Cargos e Salários. Apesar da conquista, a associação tem se empenhado em reivindicar junto ao Governo do Estado o aperfeiçoamento do plano para que, de fato, atenda aos anseios de todos servidores e servidoras do Incaper. Além, é claro, de se manter firme na luta pela valorização do servidor, do serviço público estadual e da agricultura familiar.

É importante destacar que, em toda a sua trajetória, a Assin contou com entidades parceiras em suas lutas. Uma delas é o Sindicato dos Trabalhadores e Servidores Públicos do Estado do Espírito Santo (Sindipúblicos), com quem a associação ainda mantém uma grande parceria. As outras são a Associação dos Funcionários da Emcapa (AFE) e a Associação dos Servidores da Emespe (Asseme), ambas extintas com o fim das duas empresas. A AFE, quando extinta, cedeu todo o seu patrimônio para a Assem, hoje Assin.

Estatuto

Baixe aqui o estatuto da ASSIN

Download

Diretoria – Triênio 2018 / 2020

A cada 3 anos consecutivos ocorrem as eleições dos Órgãos Administrativos da ASSIN. Confira a seguir as atuais diretrizes da Associação

Diretoria Executiva

Presidente


Samir Seródio Amim Rangel

 

Diretor Social e de Saúde


Dirceu Godinho Antunes

Diretor Financeiro

Adolfo Brás Sunderhus

 

Diretor de Cultura e Comunicação

Renata Setubal Lourenço

Diretor Administrativo


Iran Milanez Caetano

 

Suplentes

 

Renato Corrêa Taques, Luiz Carlos Pereira do Sacramento, Antonio Locateli

Diretoria dos Núcleos

Conselho Fiscal
Arthur Gabriel Guedes Rocha
Nilson de Oliveira Junior
Elson Juarez da Silva

Suplentes:
Rudney Koppe

Núcleo Metropolitano
 Katarina Ratzke Oliveira
Vanessa Alves Justino Borges

Suplente:
Ana Vanessa Messias Mello

Núcleo Norte – Eixo 101
Marcos Moreira
Daniel do Nascimento Duarte

Suplente:
Domingos de Jesus

Núcleo Litorâneo
Vanderli Miranda
Juliana de Barros Valle

Suplente:
Fábio Lopes Dalbom

Núcleo Serrano
Eduardo Henrique Wiedemann Lang
Aline Marchiori Crespo

Suplente:
José Felipe da Conceição

Núcleo Central Serrano
Galderes Magalhães de Oliveira
Arestides Otaviano de Oliveira Junior

Suplente:
João Paulo

Núcleo Extremo Norte
Wesley Ribeiro Ferrari
Geraldo Eliandro Rodrigues

Suplente:
Welington Braida Marré

Núcleo dos Aposentados
Danilo Sanson
Maria Isabel Medeiros Duarte

Suplente:
José Sérgio Salgado

Núcleo Centro Oeste
Ivan Marcelo Lins Nogueira
Rosenilto Traspadini da Silva

Suplentes:
Osvaldino Martins de Oliveira Neto

Núcleo Sul
Anemir Lopes de Oliveira
Maísa Mação Puppin

Suplentes:
Felipe Padela Rosa

Núcleo Caparaó
Heraldo Rodrigues dos Santos
Danilo Rocha Gomes

Suplentes:
Matheus Fonseca de Souza

Núcleo Extremo Norte
Wesley Ribeiro Ferrari
Geraldo Eliandro Rodrigues

Suplente:
Welington Braida Marré